As Cadeias Produtivas do Artesanato de Alcântara

As Cadeias Produtivas do Artesanato de Alcântara

1.039 visualizações 177 downloads

Detalhes

  • Categoria: Artesanato
  • Autores: Raquel Noronha
  • Quantidade de Páginas: 130
  • Data de Inclusão: 25/02/2017
  • Formato do Arquivo: PDF
  • Tamanho do Arquivo: 17.585 KB

O Brasil é frequentemente associado à sua riqueza em termos de diversidade cultural e de recursos biológicos. Este patrimônio, que caracteriza nosso país como megabiodiverso, nos traz uma grande responsabilidade. A todo momento nos confrontamos com a necessidade de desenvolver estratégias para proteger e valorizar os conhecimentos plurais e os recursos naturais, buscando alternativas de transformação e renovação do território e das tradições. A valorização de identidades e produtos locais é um tema central nesta discussão. Neste sentido, este livro organizado por Raquel Noronha representa uma significante contribuição, trazendo o testemunho de uma experiência prática de design, em curso, nos territórios maranhenses. Tão importante como promover ações é registrá-las, possibilitando refletir sobre os possíveis desdobramentos e promover novas interações. Três conceitos são essenciais para fundamentar a reflexão sobre a valorização de produtos locais: território, sociobiodiversidade e inovação colaborativa. Os produtos locais são manifestações culturais, fortemente relacionadas ao território e à comunidade que os produziu. Estes produtos representam os resultados de uma rede, tecida ao longo do tempo, que envolve recursos da biodiversidade, modos de fazer tradicionais, costumes e também hábitos de consumo. Esta condição de produto ligado ao território e à sociedade que o produz é representada no conceito de terroir. Esta palavra, original do francês, é empregada para definir um território caracterizado pela interação com o homem ao longo dos anos, cujos recursos e produtos são fortemente determinados pelas condições do solo, do clima e culturais. No Brasil, uma importante referência para as pesquisas que abarcam o conceito de território é o extenso trabalho de Milton Santos. O território, em suas palavras, “é a base do trabalho, da residência, das trocas materiais e espirituais e da vida, sobre os quais ele influi”. Considerar os produtos locais como elementos do território nos conduz a uma visão ampla de projeto. Neste sentido, o processo de valorização de produtos locais depende de muitos fatores que vão além da qualidade dos recursos e dos artefatos em si mesmo. É necessário alargar o foco de análise: partindo do contexto local para compreender as relações que se formam em torno do território, da produção e do consumo dos produtos. A perspectiva do design vem justamente ajudar nesta complexa tarefa de mediar tradição e inovação, tendo como ponto central as trocas que se estabelecem em torno dos artefatos, atribuindo-lhes diferentes significados.

Comente Aqui

Subir ao topo