Decoração Interior - Ferramentas e Materiais

Decoração Interior - Ferramentas e Materiais

1.552 visualizações 77 downloads

Detalhes

  • Categoria: Artesanato
  • Autores: Cristina Bernardo
  • Quantidade de Páginas: 34
  • Data de Inclusão: 24/02/2017
  • Formato do Arquivo: PDF
  • Tamanho do Arquivo: 11.369 KB

É uma das quatro estações do ano. Neste período, as temperaturas permanecem elevadas e os dias são longos. Geralmente, o verão é também o período do ano reservado às férias, às feiras de artesanato, gastronomia, concertos, música, festivais, festas, etc... O Verão do hemisfério norte é chamado de "Verão boreal", e o do hemisfério sul é chamado de "Verão austral". O "Verão boreal" tem início com o solstício de Verão do Hemisfério Norte, que acontece cerca de 21 de Junho, e finda com o equinócio de Outono nesse mesmo hemisfério, por volta de 23 de Setembro. O "Verão austral" tem início com o solstício de Verão do Hemisfério Sul, que acontece cerca de 21 de Dezembro, e finda com o equinócio de Outono, por volta de 20 de Março nesse mesmo hemisfério. Nos tempos primitivos, era comum dividir o ano em cinco estações, sendo o verão dividido em duas partes: o verão propriamente dito, de tempo quente e chuvoso (geralmente começava no fim da primavera), e o estio, de tempo quente e seco — palavra da qual deriva o termo "estiagem". Chega o verão e com ele as feiras de artesanato. Nas festividades das cidades e vilas fazem também feirinhas de artesanato. Há música, animação, cor e alegria. A população gosta. Os turistas agradecem. Os artesãos comparecem vindos de toda parte. Compram-se algumas peças, não muitas, mas quem vende dá-se por satisfeito. Peças expostas de maneira irregular para a divulgação do artesanato, esta é uma das características dessas feiras. A altura em que também aparecem as maiores feiras de artesanato. Mas, acabando o verão o que fazer o resto do ano ? Expôr mercadorias em feiras é um hábito muito antigo, quase tanto quanto a própria noção de comércio. No período final da idade média, as rotas de mercadores da Europa se transformaram em ponto de encontro para a compra, venda e troca de produtos. Em especial, nos pontos em que essas rotas se cruzavam, desenvolviam-se feiras periodicamente, sendo que as maiores se localizavam na região de Champagne, nordeste da França. Vilarejos e cidades cresceram e fortaleceram as relações comerciais em torno dessas feiras, dando um empurrão decisivo na burguesia que se desenvolvia de forma cada vez mais convincente.

Comente Aqui

Subir ao topo